Como não defender o vegetarianismo enquanto obrigação moral

Philosophy@Lisbon 6:13-23 (2017)
  Copy   BIBTEX

Abstract

No artigo “O vegetarianismo como obrigação ética” (Crítica, 10 de Setembro de 2015), Moutinho defende que o vegetarianismo é uma obrigação moral. Fá-lo argumentando por duas vias: que o estatuto moral dos animais é incompatível com serem usados pelos humanos para alimentação; e que o vegetarianismo é consequência do nosso dever em preservar o equilíbrio ecológico do planeta. O meu objectivo neste artigo é mostrar que os argumentos apresentados são insuficientes para estabelecer o vegetarianismo como obrigação moral.

Links

PhilArchive

External links

  • This entry has no external links. Add one.
Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server

Through your library

Analytics

Added to PP
2018-10-15

Downloads
264 (#79,787)

6 months
58 (#84,490)

Historical graph of downloads
How can I increase my downloads?

Author's Profile

Ricardo Miguel
Universidade de Lisboa

Citations of this work

No citations found.

Add more citations

References found in this work

No references found.

Add more references