Abstract
O contraste entre o espaço das razões e o reino da lei ao qual Sellars implicitamente apela não estava disponível antes dos tempos modernos. Os filósofos modernos não sentiram uma tensão entre a ideia de que o conhecimento tem um status normativo e a ideia de um exercício de poderes naturais. Porém, a ascensão da ciência moderna tornou disponível uma concepção de natureza que faz a advertência de uma falácia naturalista na epistemologia inteligível. Por isso o contraste que Sellars traça pode estabelecer uma agenda para a filosofia hoje. Eu quero distinguir duas maneiras de empreender tal projeto. A ideia é a de que a organização do espaço das razões não é, como Sellars sugere, estranha ao tipo de estrutura que a ciência natural descobre no mundo. Pensar e conhecer são parte de nossa maneira de ser animais. Para mostrar isso, vou distinguir entre dois tipos de naturalismo: um naturalismo restritivo e um naturalismo liberal. Quero sugerir que o argumento de Millikan em favor de um naturalismo restritivo ao criticar a semântica fregiana está contaminado pela adesão a um cartesianismo residual. Esse é o resultado de uma troca familiar; o preço de descartar o imaterialismo cartesiano, enquanto se permanece no interior do naturalismo restritivo, é o de que a parte que se escolheu da natureza não é mais especial o suficiente para ser creditada com poderes de pensamento. Vou argumentar que o lugar próprio à ideia de “apreender sentidos” está em descrever padrões em nossas vidas – nossas vidas mentais, nesse caso – que são inteligíveis somente em termos das relações que estruturam o espaço das razões. Essa padronização envolve racionalidade genuína, não apenas “racionalidade mecânica”. O naturalismo liberal não precisa nada mais, para fazer a ideia de “apreender sentidos” não-problemática, do que uma insistência perfeitamente razoável em que tais padrões realmente moldam as nossas vidas.
Keywords Espaço das razões   Naturalismo restritivo   Naturalismo liberal   Wilfrid Sellars   Ruth Garrett Millikan
Categories No categories specified
(categorize this paper)
ISBN(s)
Options
Edit this record
Mark as duplicate
Export citation
Find it on Scholar
Request removal from index
Translate to english
Revision history

Download options

PhilArchive copy


Upload a copy of this paper     Check publisher's policy     Papers currently archived: 69,114
External links

Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server
Configure custom proxy (use this if your affiliation does not provide a proxy)
Through your library

References found in this work BETA

Mental Events.Donald Davidson - 1970 - In L. Foster & J. W. Swanson (eds.). Clarendon Press. pp. 207-224.
The Thought: A Logical Inquiry.Gottlob Frege - 1956 - Mind 65 (259):289-311.
Frege on Demonstratives.John Perry - 1977 - Philosophical Review 86 (4):474-497.
Mental Events.Donald Davidson - 2003 - In John Heil (ed.), Philosophy of Mind: A Guide and Anthology. Oxford University Press.
Understanding Demonstratives.Gareth Evans - 1981 - In Herman Parret & Jacques Bouveresse (eds.), Meaning and Understanding. Berlin: de Gruyter. pp. 280--304.

View all 9 references / Add more references

Citations of this work BETA

Apresentação.Roberto Hofmeister Pich - 2013 - Veritas – Revista de Filosofia da Pucrs 58 (3):425.

Add more citations

Similar books and articles

Será procedente o argumento de Plantinga contra o naturalismo metafísico?Domingos Faria - 2015 - Princípios: Revista de Filosofia 22 (39):121-139.
Abrantes, o Naturalismo E o Teísmo.Agnaldo Cuoco Portugal - 2018 - Revista de Filosofia Moderna E Contemporânea 6 (1):73-104.
Como Ser um Naturalista Filosófico Responsável?Luis R. G. Oliveira - 2017 - Revista Brasileira de Filosofia da Religião 4 (1):9-25.
Eraclito e Lao-Tse. Naturalismo greco e naturalismo cinese.Gerardo Fraccari - 1960 - Atti Del XII Congresso Internazionale di Filosofia 10:55-61.
Husserl,Heidegger e a superação do naturalismo.Cláudia Drucker - 1999 - Philósophos - Revista de Filosofia 4 (1):05-24.

Analytics

Added to PP index
2018-11-17

Total views
10 ( #896,403 of 2,499,060 )

Recent downloads (6 months)
1 ( #419,059 of 2,499,060 )

How can I increase my downloads?

Downloads

My notes