Leibniz: A infinitude divina E o Infinito em nós

Cadernos Espinosanos 34:39-63 (2016)
  Copy   BIBTEX

Abstract

O verdadeiro infinito, afirma Leibniz em seus Novos ensaios, não é um modo da quantidade, é anterior a qualquer composição e não é formado pela adição de partes. O infinito, para Leibniz, é atual e é propriedade de todas as coisas. Como criaturas finitas conhecem o infinito? Neste artigo, investigamos que tipo de relação pode ter o infinito matemático, quantitativo, para o conhecimento da infinitude divida e do infinito atual que existe no mundo. A ordem ideal da matemática instrui sobre a ordem real do mundo? E quais os limites da ordem ideal na explicação do infinito atual que caracteriza Deus e o mundo?

Links

PhilArchive



    Upload a copy of this work     Papers currently archived: 74,181

External links

Setup an account with your affiliations in order to access resources via your University's proxy server

Through your library

Similar books and articles

Egidio Romano e la dottrina aristotelica dell'infinito.C. Trifogli - 1991 - Documenti E Studi Sulla Tradizione Filosofica Medievale 2 (1):217-238.
Contingência E Infinito.Carlos de Moura - 2000 - Cadernos de História E Filosofia da Ciência 10 (1).
O Infinito E deus em Hobbes.Márcia Zebina - 2003 - Philósophos - Revista de Filosofia 8 (2).
El concepto de infinito en Leibniz y Locke.Leticia Cabañas - 2010 - Ontology Studies: Cuadernos de Ontología 10:143-152.
El continuo en Leibniz y su concepción del infinito actual.Javier Kasahara - 2010 - In Manuel Sánchez Rodríguez & Sergio Rodero Cilleros (eds.), Leibniz En la Filosofía y la Ciencia Modernas. Comares. pp. 135--148.
Finito o Infinito: una cuestión de gusto.Mary Sol Charles - 2009 - Ontology Studies: Cuadernos de Ontología:43-54.

Analytics

Added to PP
2016-12-21

Downloads
13 (#759,646)

6 months
1 (#413,813)

Historical graph of downloads
How can I increase my downloads?

Author's Profile

Tessa Lacerda
University of São Paulo

Citations of this work

No citations found.

Add more citations

References found in this work

Leibniz, critique de Descartes.Yvon Belaval - 1960 - Les Etudes Philosophiques 15 (4):527-527.
Significa.[author unknown] - 1936 - Synthese 1 (11):325-339.
Leibniz Critique de Descartes.John van Heijenoort - 1961 - Journal of Philosophy 58 (2):53-55.
Prefácio.[author unknown] - 2002 - Manuscrito 25 (3):9-10.

View all 8 references / Add more references